Prefeitura de Diadema

27 de novembro de 2008

Fotos: Mauro Pedroso/PMD
Restaurante Popular serve mais de mil refeições por dia

                                                                    Por Beatriz Prado

 

 

O relógio marca 11h30 quando José Meudo de Souza Oliveira, 39, sai de casa ao lado da esposa e dos dois filhos para almoçar fora. A cena se repete todos os dias e antes de fechar a porta da residência uma última ligação para confirmar o cardápio do dia e a família festeja: É feijoada! 

Almoçar fora virou rotina para a família há 3 anos com a inauguração do I Restaurante Educativo Popular de Diadema.

 

Nem a caminhada de 20 minutos de casa até o centro do bairro Serraria afasta José Meudo, Marcilene, 20, Rodrigo, 9, e Raul, 14, do encontro com amigos. Gabriel, 6, o mais novo da turma, desfalca o time agora que estuda em período integral.

Com o prato na mesa e o garfo e a faca em punho a família é acompanhada por trabalhadores da região, bancários, donas de casa, aposentados e carteiros que também almoçam no local. Sucesso de público, o preço da refeição não é o único atrativo do local. 

“Se eu fosse almoçar em casa todos os dias o custo seria bem mais alto por causa do preço dos alimentos e do gás. Além de evitar aquela montanha de louças na pia de casa, gasto R$ 80 por mês e a família inteira fica satisfeita”, fala Oliveira. A fila que se forma a partir das 10h30 e o cheiro do tempero que paira no ar é a referência da boa comida preparada.

Família Oliveira almoça todos os dias no Restaurante e gasta apenas R$ 80,00 por mês 

O local onde se alimenta o corpo também alegra o espírito, a última sexta-feira de cada mês é reservada para a apresentação da Banda Jazz Sinfônica de Diadema. O repertório de composições nacionais influenciou o gosto musical de Rodrigo de Souza, 9, que freqüenta as aulas de piano no Centro Cultural Serraria.  A região que conta com a forte concentração de bancos e o notável crescimento do comércio local atraem novos freqüentadores.  

Foi assim com a caminhoneira aposentada Cleuza Cruz, moradora de outro município que descobriu o espaço em uma visita ao bairro e experimentou a comida do Restaurante Popular. “Eu amei o restaurante. É tudo muito limpinho e rápido e o legal é que tem até feijoada por esse preço”, fala Cleuza. 

Do outro lado do balcão

 

 

Às 07h30 da manhã, quatro horas antes da família Oliveira sair de casa, o movimento das panelas já é intenso no Restaurante Popular. Em pouco tempo o porteiro Edvaldo irá começar a distribuir as 1200 senhas e a corrida é para deixar prontos os 150 quilos de arroz, outros 33 de feijão e 150 de carne até a entrada do público.

A preocupação em fornecer uma refeição segura e balanceada é a motivação da gerente Érika Higushi ao coordenar a equipe de 20 funcionários. O fim da fila por volta das 13h marca o início das tarefas para o dia seguinte. Pratos e talheres limpos, cardápio definido e alimentos separados é hora de fechar as portas e recarregar energias para um novo dia de trabalho. 

Um é bom, dois é ainda melhor

 

 

Funcionários preparam os alimentos com carinho e cuidado

Foi com esse pensamento que os moradores de Diadema reivindicaram uma nova unidade do Restaurante Popular no Orçamento Participativo de 2007. As obras começaram em junho deste ano com previsão de entrega para março de 2009, terá área útil de 1010 m2 e capacidade de atendimento para 2.000 refeições por dia.

Também vai abrigar um palco para as apresentações culturais e um reservado para a implantação de cozinha experimental para cursos de alimentação saudável e práticas contra o desperdício.

A novidade por conta do II Restaurante deve mudar a rotina de famílias como a dos Oliveiras que terá alimentação de boa qualidade por apenas 1 real.

Ir para o conteúdo