Prefeitura de Diadema

31 de janeiro de 2024

Economia Solidária e Fundo Social vão apresentar e comercializar seus trabalhos nas 19 barracas instaladas na Praça da Moça

Foto: Igor Andrade Cotrim

A Prefeitura de Diadema retoma em 2024, após um período de 12 anos, atividades relativas à celebração do Carnaval, uma das mais importantes expressões culturais brasileiras. A folia já tem data e hora marcadas. Nos dias 3 e 4 de fevereiro, sábado e domingo, na Praça da Moça sempre a partir das 16h.

Além de fomentar o acesso à cultura, o Carnaval Diadema também impulsiona a economia local ao proporcionar a participação de 19 barracas de empreendedores do município e instituições sociais, gerando renda e empregos. Do total, 14 são vinculadas ao Programa de Economia Solidária da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho de Diadema – SEDET (organizadas por meio de cooperativas) e outras 5 de entidades cadastradas no Fundo Social de Solidariedade de Diadema, (constituído por membros representantes de clubes de serviços e organizações não governamentais).

Elas irão comercializar Coquetéis, Churrasco, Pastel, Fogaça, Lanches, Tapioca, Acarajé, Hot-Dog, Batata-Frita, Açaí, Milho e seus Derivados, Doces, Peixes, Arroz de Cuchá, Mini Pizzas, Lanche de Pernil e Artesanatos Típicos Africanos (adereços como colares, brincos, adereços para tranças de cabelos, máscaras de carnaval com tecido africano e outros) e Serviços de Tranças Africanas diversas.

Elma Braz do Nascimento de Souza, 55 anos, faz parte do Empreender Todas, grupo de 22 mulheres que se uniu para empreender nas áreas de artesanato, brechós e alimentação. Ela comanda a Nascimento Doces e Salgados. “O retorno do carnaval na nossa cidade de Diadema é maravilhoso, pois ele gera trabalho e oportunidades para quem empreende em Diadema”, afirma.

Elma também se recorda dos antigos carnavais. “Eu me recordo bem das folias passadas. Houve um ano em que o Carnaval era realizado no estacionamento do extinto supermercado Extra, que ficava na Avenida Antonio Piranga. Ela também é mãe do mestre de bateria do Bloco da Moça, que estará presente no domingo, dia 4.

Foto: Rodrigo Sá (San)

Gabriela Castelo Branco tem 43 anos e é empreendedora da Rede Sabor de Casa, junto com mais três pessoas. Ela também ressalta a importância da volta do Carnaval, tanto do ponto de vista da movimentação da economia, como fomento à cultura.  “O retorno das festividades de Carnaval no município é muito importante. Ele já faz parte da história de nossa cidade, com as escolas de samba e as matinês infantis, que sempre trazem alegria para nossas famílias. Além disso, a festividade movimenta nossa economia de pequeno empreendedor”, diz.

A empreendedora destaca o trabalho realizado pela Casa de Economia Solidária de Diadema, da SEDET. “Já tínhamos os conhecimentos em culinária, mas foi por meio dos cursos que fizemos lá, que aprendemos, de modo técnico, como empreender e vender nos eventos promovidos pela Prefeitura”, conclui Gabriela.

Foto: Igor Andrade Cotrim

Durante o Festival de Natal, os empreendedores que atuaram nos shows arrecadaram mais de R$ 240 mil. Para o Carnaval, a expectativa é de uma arrecadação aproximada de R$ 150 mil.

Fundo Social

O Fundo Social de Solidariedade de Diadema também estará presente com 5 barracas das seguintes entidades: Associação Carati, Mitra Diocesana, Associação Palmares, ONG Nùcleo Inverno e Verão e ONG Viva a Diversidade. 

José Reinaldo, 59 anos, da Ong Núcleo Inverno e Verão, aprovou o retorno das festividades de Carnaval. “Nossa expectativa é que o evento seja animado e inclusivo, incentivando a participação da comunidade local, fortalecendo os laços sociais e celebrando a cultura”. A ONG atua na promoção do bem-estar e fortalecimento da comunidade. Ao longo dos anos, desenvolveu diversos projetos sociais, destacando-se a Festa do Dia das Crianças, Café da Manhã no Dia das Mães, Corrida Kids Pé no Chão, Passeios Educativos para as crianças, Projeto Capoeira, Escolinha de Futebol e Horta Comunitária. Além disso, estabeleceu parcerias estratégicas com a Fundação Florestan Fernandes, UBS do Ruyce e o Programa Jovem Aprendiz.

Foto: Igor Andrade Cotrim

Dejanira Benedita Moyses, 59 anos, conselheira fiscal da ONG Viva a Diversidade também aprova o retorno do Carnaval. “Achamos importante a retomada do carnaval em Diadema. Estava faltando isso para completar a agenda cultural da cidade”. A Associação, que conta com 38 membros, atua em Diadema há 18 anos na defesa dos direitos e respeito não só dos LGBTQIA+, mas sim de todas, todos e todes, que de alguma forma, sofram qualquer tipo de violação aos seus direitos.

Heitor N. Bisi

Ir para o conteúdo